Pesquisar este blog

Carregando...

quinta-feira, 31 de julho de 2014

Crio comemora os "Aniversariantes do mês de julho"

A ganhadora do Rodízio com direito a um acompanhante para o "Sal e Brasa" foi nossa querida Dra. Carone Alves - Nutricionista do CRIO.

Na manhã desta quinta (31/07) comemoramos os aniversariantes do mês de julho. O CRIO faz questão de compartilhar com seus colaboradores esses momentos de diversão e convivência, com isso podemos conhecer pessoas de outros setores e fazer novas amizades. O CRIO parabeniza a todos os aniversariantes do mês de julho.


















quarta-feira, 30 de julho de 2014

Novo medicamento produzido nos EUA é esperança de cura para pacientes com hepatite C

A hepatite é a inflamação do fígado, causada por cinco vírus diferentes e que nem sempre apresenta sintomas. Os tipos B e C são a causa mais comum de cirrose hepática e câncer de fígado


Uma nova droga, ainda em aprovação nos Estados Unidos, pode representar a cura para cerca de 95% dos pacientes com hepatite C, forma mais grave da doença, segundo o presidente da Sociedade Brasileira de Hepatologia (SBH), Edison Roberto Parise. A hepatite é a inflamação do fígado, causada por cinco vírus diferentes e que nem sempre apresenta sintomas. Os tipos B e C são a causa mais comum de cirrose hepática e câncer de fígado.
Atualmente, para todos os tipos da doença, o tratamento é com feito com antivirais, basicamente o interferon e a ribavirina, com duração de 48 semanas. Em alguns casos, esses medicamentos podem ser combinados com inibidores de protease, que tem muitos efeitos colaterais e cura cerca de 50% a 70% das pessoas infectadas.
Segundo Edison Parise, uma segunda série de medicamentos já está em aprovação pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária. “São dois novos medicamentos que têm uma baixa tremenda de efeito colateral, mas que ainda vão ser utilizados com interferon, em alguns casos”, disse ele, ao explicar que o tratamento deve durar 12 semanas, com um índice de cura de 80% a 90%.
O tratamento contra a hepatite é feito pelo Sistema Único de Saúde (SUS) e é bom, segundo o gerente de Projetos da Associação Brasileira dos Portadores de Hepatite (ABPH), Eduardo Tadeu Lima e Silva. “Tem todas aquelas coisas do setor público e as dificuldades de qualquer tratamento de alta complexidade, como aids, malária e câncer. Mas o paciente tem atendimento e acesso a medicamentos”, falou.
Os cinco tipos
A hepatite A, na maioria dos casos, é uma doença benigna e de contágio simples, pela água mal tratada ou alimentos mal lavados. A melhor forma de se evitar a doença é melhorando as condições de higiene e de saneamento básico. Existe vacina contra o vírus da hepatite A, mas só é recomendada em casos especiais.
Para a hepatite B também há vacina, disponibilizada na rede pública de saúde. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), 240 milhões de pessoas no mundo têm a doença, que pode se tornar crônica, dependendo da idade do infectado. As crianças são as mais afetadas. A hepatite B é considerada doença sexualmente transmissível e o vírus está presente no sangue, no esperma e no leite materno.
Cerca de 150 milhões de pessoas no mundo tem o tipo C da doença, que é o mais grave, pois não há vacina. A ação do vírus é lenta e silenciosa e, em 80% dos casos, torna-se crônica em pouco tempo.
A hepatite D é menos comum e depende da presença do vírus do tipo B para a infecção.
Já a hepatite E tem ocorrência rara no Brasil e é comum na Ásia e África. A transmissão é fecal-oral (patógenos das fezes tem contato com a boca), mais comum em áreas sem saneamento básico. A hepatite E pode induzir uma taxa de mortalidade de 20% entre as mulheres grávidas em seu terceiro trimestre, segundo a OMS. 
Fonte: acritica.uol.com.br

terça-feira, 29 de julho de 2014

O câncer pode desaparecer por conta própria?





De acordo com o médico José Alexandre Barbuto, pesquisador do Departamento de Imunologia da USP, isso pode acontecer quando o sistema imunológico do indivíduo resolve ‘comprar a briga contra a doença’. Segundo ele, a descoberta levou cientistas a desenvolverem o tratamento pelo sistema imunológico, como as vacinas.

O especialista explica que a célula cancerígena sofreu alterações no processo de divisão (crescendo de forma desordenada). Na maioria dos casos, ela é reconhecida como uma célula normal, mas quando o sistema imunológico percebe que houve alguma alteração, ele pode comprar a briga e eliminar a célula. Isso normalmente ocorre quando há um desequilíbrio, como uma infecção na região do tumor, que faz com que o organismo ‘enxergue o câncer’ e crie mecanismos de autodefesa para combatê-lo.

Isso não é uma coisa nova, no fim do século 19, William Coley percebeu que alguns pacientes que tinham registro de infecção no local do câncer conseguiam regredir a doença. Ele constatou que o sistema imune percebia o câncer’, afirma o pesquisador. Segundo Barbuto, a partir deste estudo, Coley desenvolveu uma toxina (Toxina de Coley) para tratar a doença. Mas ela não curou os outros casos, porque o que ele não previa é que cada organismo reagiria de uma forma à doença. ‘O câncer é único, diferente em cada organismo’, explica.

Uma pesquisa da Associação Médica Americana com base em dados de pacientes com câncer de mama e de próstata acompanhados por 20 anos apontou que alguns tumores simplesmente desapareceram do organismo. O estudo, divulgado em 2009, mostra que o câncer não é um processo totalmente linear, que a atuação do sistema imunológico pode ‘destruir ou abastecer um tumor’. Mas, embora em alguns casos a doença possa desaparecer por conta própria, o professor da USP afirma que isso é muito raro. ‘É um fenômeno extremamente difícil de acontecer, ninguém pode parar o tratamento por causa dessa possibilidade mínima’, alerta Barbuto.

Fonte: terra.com.br

segunda-feira, 28 de julho de 2014

Carcinoma de ovário

O carcinoma de ovário pode se manifestar em mulheres de todas as idades



O carcinoma de ovário é o tipo de câncer ginecológico mais difícil de ser diagnosticado, já que o exame clínico geralmente falha na identificação de tumores pequenos. Por isso, na maioria dos casos, este já é descoberto em estágio avançado, comprometendo diversas regiões e apresentando um elevado índice de letalidade.

Encontrado em mulheres de todas as idades, mas em maior frequência naquelas de idade acima de 40 anos; histórico de câncer de mama, antecedentes familiares, exposição a agentes tóxicos e estilo de vida são fatores que se mostram como sendo de risco. Como este câncer está relacionado ao número excessivo de ovulações, é comprovado que o uso de pílulas anticoncepcionais por mais de cinco anos diminui a incidência deste tumor para 60%; e que mulheres que nunca tiveram filhos têm maior probabilidade de adquiri-lo.

Com quadro clínico inespecífico, que pode incluir dor abdominal, aumento do volume nesta região,
alterações urinárias, dificuldade para comer ou sensação rápida de saciedade por mais de três semanas; marcadores tumorais detectáveis no exame de sangue e ecografia podem ser importantes para detectá-lo precocemente. Entretanto, o diagnóstico definitivo só pode ser feito cirurgicamente: momento este em que um material representativo deste tumor é analisado ao microscópio e já é feita a intervenção terapêutica, de acordo com os resultados obtidos.

A área removida depende de fatores como idade da paciente, tamanho e agressividade do câncer e desejo ou não de ter filhos no futuro. Muitas vezes podem ser necessárias seções de quimioterapia, radioterapia ou hormonioterapia, de acordo com tais critérios citados. 

Fonte: brasilescola

sexta-feira, 25 de julho de 2014

Hepatite mata quase tanto quanto a Aids, alerta a OMS

"A melhor forma de prevenção contra o câncer de fígado ou as cirroses hepáticas é a prevenção e o tratamento da hepatite viral"



 A hepatite é uma doença que mata quase tanto quanto a Aids, com 1,4 milhão de mortos a cada ano, anunciaram nesta quinta-feira, em Genebra, vários especialistas da Organização Mundial da Saúde (OMS).

Por ocasião do Dia Mundial contra a Hepatite, celebrado em 28 de julho, os especialistas afirmaram que esta doença, que pode causar câncer, pode ser combatida.

Um total de 1,5 milhão de pessoas morreram em consequência da Aids em 2013.

Do 1,4 milhão de pessoas mortas pela doença, 90% tinham contraído hepatite B e C, responsáveis por dois terços dos cânceres de fígado no mundo.

"A melhor forma de prevenção contra o câncer de fígado ou as cirroses hepáticas é a prevenção e o tratamento da hepatite viral", declarou o professor Samuel So, cirurgião e professor da Universidade de Stanford (Califórnia).

"Se agirem assim, salvarão muitas vidas e, ao mesmo tempo, economizarão muitos custos sanitários", declarou à imprensa em Genebra.

Com este objetivo, Samuel So, acompanhado de especialistas da OMS, defendeu um reforço dos testes que detectam a doença, levando em conta que estima-se em 500 milhões o número de pessoas portadoras do vírus da hepatite, mas muitas delas não o sabem.
Segundo o doutor Stefan Wiktor, encarregado do programa de luta contra a hepatite na OMS, há novos tratamentos contra a doença, com um índice de cura de 95%, o que representa uma "revolução terapêutica".

Fonte: midianews

terça-feira, 22 de julho de 2014

Alimentação saudável contra o câncer

A alimentação é parte fundamental para prevenir e tratar tumores, uma alimentação correta é capaz de destruir e inibir células cancerosas. A alimentação deve ser o mais natural possível, evitando-se alimentos industrializados e embutidos, pois a maioria contém nitritos, conservante que pode se tornar um potente cancerígeno. Abuse de verduras, legumes, frutas, alimentos integrais, alimentos não gordurosos etc.
A boa alimentação é a solução para evitar o câncer. Deve-se abandonar os seguintes alimentos e hábitos:
Cigarro: tem compostos n-nitrosos, benzopirene e outros potentes iniciadores do câncer.
Bebidas alcoólicas: uma dose por dia, incluindo cerveja, eleva em 10% o risco de câncer de mama. Também aumenta o risco de câncer de esôfago, fígado, pâncreas e reto.
Diminua o consumo de carnes: quanto mais carne se come, mais compostos n-nitrosos são
produzidos pelas bactérias intestinais. Quando as proteínas animais são submetidas ao calor; liberam aminas aromáticas heterocíclicas e hidrocarbonetos aromáticos policísticos.
Frituras: óleos aquecidos a altas temperaturas liberam substâncias cancerígenas.
Nitritos: conservante de industrializados, carnes, salsichas, lingüiças, presuntos, carnes embutidas.
Exposição ao sol sem protetor solar.
Inibidores e destruidores de células cancerosas:
Linfócito T: destrói células cancerosas. Para tanto, deve haver fartas quantidades de vitaminas C, E e A, selênio, zinco, complexo B, ácido fólico, arginina, metionina e cisteína. Estes nutrientes são essenciais para imunidade contra o câncer. São abundantes em cereais integrais, feijões, legumes, verduras, frutas, nozes e sementes.
Glóbulos brancos: destróem células cancerosas, mas têm a mobilidade diminuída na alimentação com excesso de gordura. A ausência de fibras e cereais agrava a situação.
Selênio: junto com as proteínas, corta a circulação para as células cancerosas, destruindo-as. Alimentos que possuem selênio têm outros fitoquímicos protetores que interagem entre si, sendo ativados pela mastigação.
Zinco: ativa a endostatina, que corta a circulação para as células cancerosas
Exercícios físicos: melhoram a circulação e ativam as reações químicas inibidoras de câncer.
Também são inibidores da carcinogênese o pentosan, ácido glutâmico, ácido fítico, isoflavonas dos cereais integrais, inibidores da protease, dos feijões e das sementes, as vitamina C e A, fenóis, indóis, ditioltione dos legumes e verduras, a vitamina E da soja, sementes, cereais e frutas.
Portanto a alimentação deve ser rica em:
Fontes de vitamina C: laranja, mexerica, manga limão, acerola, kiwi, brócolis, rúcula, agrião, couve, espinafre, escarola, tomate.
Fontes de vitamina E: nozes, amêndoas, castanhas, peixes, soja, cereais, produtos integrais.
Fontes de vitamina A: cenoura, abóbora, moranga.
Arginina, metionina, cisteína: feijões, cereais integrais, arroz , grãos.
Selênio: castanhas, amêndoas e nozes.
Zinco: carne magra, peixe, castanha, nozes.
Complexo B: leite (desnatado ou semi), queijo (branco), iogurte, demais derivados de leite.
ALIMENTOS CONTRA O CÂNCER 
ALIMENTO
COMPONENTE ATIVO
TIPO DE CÂNCER QUE PREVINE
Abóbora
betacaroteno
Próstata, mama e bexiga
Berinjela
Ácido fenólico
Esôfago e mama
Brócolis
Ácido cinâmico e
carbinol indol-3
Mama
Cenoura
Betacaroteno e flavonóides
Próstata, mama e bexiga
Cereais
Fibras insolúveis
Cólon
Couve-flor
Carbinol indol-3
Mama
Couve manteiga
Carbinol indol-3
Mama
Ervilha
Pectina e isoflavona
Mama, pulmão, cólon, reto, estômago e próstata
Feijão
isoflavonas
Mama, pulmão, cólon, reto, estômago e próstata
Lentilha
isoflavonas
Mama, pulmão, cólon, reto, estômago e próstata
Linhaça
Lignana, ácido graxo ômega 3
Mama, ovário e próstata
Manga
betacaroteno
Mama, próstata e bexiga
Mostarda (folha)
Carbinol indol 3
Mama
Peixes (salmão, bacalhau, atum)
Omega 3
Mama, laringe, cólon, pele, pâncreas e pulmão
repolho
Carbinol indol 3
Mama
Shitake
Lentinan
Mama, pulmão, estômago, cólon e reto
Tomate
Licopeno
Mama, bexiga e próstata


Confira dicas de receitas saudáveis:
* Salada colorida:
INGREDIENTES: 1 maço de rabanetes, 1 alface americana, 1/4 de queijo meia cura, 2 cenouras. MODO DE PREPARO: 1.Cortar os rabanetes em rodelas.  2.Ralar a cenoura, cortar a alface americana bem fininha e o queijo em cubos.  3.Servir com molho de sua preferência. 4.Bom apetite.

* Patê de Ricota:
INGREDIENTES:500g de ricota, 1 xícara de café de azeite, 1/2 xícara de chá de cheiro verde picadinho, sal e pimenta do reino a gosto.
MODO DE PREPARO: Misture tudo e amasse bem. Sirva com torradas ou pão.

Fonte: http://ellenrampini.com.br/

segunda-feira, 21 de julho de 2014

SOBRE CÂNCER INFANTIL

Tipos de câncer em crianças

Os tipos de câncer que ocorrem mais frequentemente em crianças são diferentes daqueles observados em adultos.Os cânceres mais comuns das crianças são leucemia, Cerebrais e outros tumores do sistema nervoso, neuroblastoma, tumor de Wilms, linfoma, rabdomiossarcoma, retinoblastoma e câncer ósseo (incluindo osteossarcoma e sarcoma de Ewing).
O mais comum ainda é o câncer do tipo leucemia. Outros tipos de câncer são raros em crianças, mas acontecem às vezes. Em casos muito raros, as crianças podem até desenvolver cânceres que são muito mais comum em adultos como de mama, por exemplo.


O que é leucemia?
Leucemia é um dos tipos de câncer da medula óssea e do sangue, e um dos cânceres infantis mais comuns. Ele responde por cerca de 34% de todos os cânceres em crianças. Os tipos mais comuns em crianças são a leucemia linfóide aguda (LLA) e leucemia mielóide aguda (LMA). A leucemia pode causar dor nos ossos e articulações, fadiga, fraqueza, sangramento, febre, perda de peso e outros sintomas.

O que é neuroblastoma?

O neuroblastoma é uma forma de câncer que se inicia em formas primitivas de células nervosas encontradas em um embrião em desenvolvimento ou feto. É responsável por cerca de 7% dos cânceres infantis. Este tipo de câncer ocorre em  crianças lactentes  ejovens. Raramente é encontrado em crianças com mais de 10 anos. Este tumor pode começar em qualquer lugar, mas é geralmente na barriga (abdômen) que e é notado como inchaço. Ela também pode causar dor óssea e febre.

O que é Tumor de Wilms?

O tumor de Wilms é um câncer que começa em um, ou raramente, ambos os rins. É mais freqüentemente encontrado em crianças de 3 a 4 anos de idade, e é incomum em crianças com mais de 6 anos de idade. Ele pode mostrar-se como um inchaço ou caroço na barriga (abdômen). Às vezes, a criança pode ter outros sintomas, como febre, dor, náuseas ou falta de apetite. Ele corresponde a cerca de 5% dos cânceres infantis.

Câncer em Crianças

O câncer começa nas células, que são os blocos de construção de seu corpo. Normalmente, as células novas se formam como você precisa que elas se formam, substituindo as células velhas que morrem. Às vezes, esse processo dá errado. Novas células se formam quando você não precisa delas, e as células velhas não morrem quando deveriam. As células extra podem formar um tumor. Os tumores benignos não são câncer, enquanto os malignos são. Células de tumores malignos podem invadir tecidos vizinhos ou romper e se espalhar para outras partes do corpo.
Crianças podem ter câncer
As crianças podem ter câncer nas mesmas partes do corpo que os adultos, mas há diferenças. O câncer infantil pode surgir de repente, sem sintomas iniciais, e com uma alta taxa de cura. As o tipo de câncer mais comum em crianças é a leucemiaOutros tipos de câncer que afetam as crianças incluem os tumores cerebraislinfoma e o sarcoma de tecido mole. Estes são os mais comuns, mas mais raramente podem surgir outros tipos de câncer no corpo e causar problemas ao organismo infantil.
Sintomas de um câncer infantil 
Os sintomas e tratamento dependem do tipo de câncer e o quão avançado ele está no corpo. O tratamento pode incluir cirurgia, radioterapia ou quimioterapia. As crianças podem apresentar leves dores de cabeça, baixa resistência física, uma falta de vontade de brincar e dificuldades de fazer atividades básicas.
Mas como dissemos antes, o câncer em crianças pode não ter sintomas e por isso um acompanhamento constante com um pediatra é a melhor pedida. O profissional deve acompanhar o tratamento semanalmente para que os melhores resultados sejam obtidos sempre e, se diagnosticado na fase inicial, o sucesso no tratamento pode ser muito maior que em adultos. Crianças tendem a se recuperar bem melhor do câncer que as crianças, pois seu organismo está mais forte.
Fonte: http://www.sobrecancer.com/